quinta-feira

A Minha História de Vida

Publicada por Ana Isabel Pedroso

“Não faças da tua vida um rascunho, pois pode não haver tempo de passar a limpo.” - (André Rossato)




Introdução
"Quando soube que tinha de escrever a minha autobiografia, achei que seria fácil.
Começaria pelo meu nascimento até aos dias de hoje.
Ao sentar-me diante do computador para iniciar a minha história de vida, então dei conta que não seria assim tão fácil. É preciso ter muita disponibilidade psicológica para colocar no papel uma vivência de 41 anos.

Sinto que ao escrever a minha autobiografia será como um escritor ao escrever o seu próprio livro.

Eu sei a minha história e tenho de a ir organizando. O que escrevo tem de fazer sentido e muitas vezes sinto que me falta a inspiração, as frases não saem, sinto a cabeça vazia.

Ao contar a minha história recordo bons e momentos menos bons do meu percurso de vida. Sinto que tem sido gratificante colocar para o papel a minha história de vida. Tem-me feito reflectir sobre o que tem sido a minha vida, se tenho seguido o caminho correcto, se as minhas opções foram as mais correctas e chego à conclusão que apesar de alguns acidentes de percurso, a minha viagem tem sido feita em segurança, com responsabilidade e alguma sabedoria.

Espero fazer um óptimo trabalho!"



O nascimento da minha filha

“Os nossos filhos precisam da nossa presença mais do que dos nossos presentes.” - (J. Blanchard)

"Em Novembro de 1993, nasceu a minha filha, uma filha planeada e muito desejada por ambos.
Foi uma gravidez com alguns enjoos, mas isso é normal.
Lia tudo o que dizia respeito a grávidas e a bebés. Tentava ter todos os cuidados comigo e com o bebé. Fui sempre a todas as consultas e fiz todos os exames que a médica mandava.
Só na última ecografia, feita no final de Setembro é que soube que era uma menina.
Engordei alguns quilos do que aqueles que a médica queria, mas para o final do tempo era impossível controlar a comida, devido ao estado de ansiedade e de medo.
O primeiro parto é sempre um desconhecido. Por muitas histórias que se possa ouvir, o passar pela situação é sempre diferente.

No dia 6 de Novembro, era um sábado e acordei com algumas moinhas, o que queria dizer, que estava próxima a hora do parto.
Depois de almoço, colocámos a mala no carro e fomos até à Costa da Caparica, andar no paredão. A médica dizia que fazia muito bem andar. Então, eu segui o conselho dela e mesmo à chuva lá andei eu e o meu marido, para trás e para a frente, e quando vinham as contracções, eu agarrava-me à barriga e tentava fazer a respiração correcta para aliviar a dor.

Por volta das 22 horas estava na casa da minha sogra quando fui á casa de banho e rebentaram as águas. Que sensação tão estranha e tão desconfortável.

Dei entrada na Maternidade Alfredo da Costa por volta das 23 horas.
Estava cheia de dores, ainda cheguei a pedir a epidural, mas não deu tempo, a minha filha estava mesmo com pressa para chegar a este mundo.

O nascimento dela foi algo de muito maravilhoso. Nasceu de parto normal, no dia 7, pela 1h40 da manhã, com 3,020 Kg e 47 cm. Demos-lhe o nome de Ana Filipa.
Tenho fotografias do nascimento dela, ela mesmo a nascer, e sempre que olho para elas recordo-me do momento mais feliz da minha vida.

É um amor imenso que sentimos por este pequeno ser que cresce dentro de nós, e que nós ainda nem o conhecemos, nem o vimos cara a cara, mas que é muito nosso, é um amor incondicional. Para mim, não há amor maior do que aquele que temos por um filho.

A minha filha tem sido muito fácil de criar. Mamou até ao dia que fez 1 anos de idade. Começou a falar muito cedo e bem explicada.
Nunca gostou de dormir a sesta à tarde, tal e qual a mãezinha dela.

Quando acabou a minha licença de maternidade tive sorte de a poder trazer comigo ali para a AMP. Como era uma criança calma, que tendo a barriguinha cheia e a fralda seca, estava sempre bem disposta.
Também contava com a ajuda da minha colega, a quem a minha filha se habitou a chamar de titi.
Até aos 3 anos de idade pude ser eu a tomar conta da minha filha e ao mesmo tempo estando a trabalhar fora de casa.
Foi muito bom, embora fosse cansativo porque andávamos de transportes públicos. Mas sinto que valeu a pena, pois a nossa relação mãe/filha é muito chegada."
Aqui está um excerto da minha autobiografia.
É o trabalho que tenho de desenvolver para terminar o 12º ano.
Nada disto está completo, ainda tenho muito trabalho pela frente.
É um projecto do qual estou muito empenhada e que me tem dado algum gozo fazer.
De vez em quando vou deixando aqui uns excertos para me irem conhecendo um pouco melhor.
É por causa deste trabalho que volta e meia ando desaparecida, mas agradeço todo o carinho que me têm dado e não deixem de me visitar. Obrigada!
Um beijo enorme!!!

13 comentários:

Carla Martins on 13:19 disse...

Ai, que tudo!!!! Amaria ter feito esse trabalho na faculdade!

Beijos!

Ana on 13:30 disse...

;))

Beijocas!!!

La Sorcière on 13:45 disse...

Olá querida! Obrigada por dividir momentos tão preciosos conosco!!!
Você tem feito falta, aqui na blogosfera, mas lendo seu relato, percebo que é por uma causa nobre!!!
Um beijo e sucesso!
Alexandra

Ana on 13:47 disse...

Obrigada pelo vosso carinho!!!

Beijinhos Enormes!!!!!!!!

bauny on 14:39 disse...

Ah!! Delicioso este bocadinho da tua autobiografia!! Sei bem do que falas pois o meu marido também está a fazer a dele com a mesma finalidade. E sei que é complicado, por vezes tento dar uma ajudinha. Bjs e continua a postar pedaços da tua vida... bjs!

Débora Lauton on 14:51 disse...

Oi Ana...

Seu post me emocionou... realmente muito bonito... imagino o quanto deve estar sendo difícil e para que seja tão tocante, só mesmo revivendo cada lembrança...
Adorei conhecer um pouquinho da sua história e só por esse trecho tenho certeza que sua autobiografia será maravilhosa...

Um grande beijo...
Dé...

Alda Antunes Ferreira on 00:15 disse...

Olá
Vim aqui atraz de uma capa de livro... adorei o resto que encontrei e decidi ler mais.
Como li o seu final de colocação, resolvi deixar um pequeno comentário, pois acabei de tirar o 9º e estou a pensar começar a tirar o 12º , vou a entrevista nesta próxima seg.
Desejo muitas forças e felicidades pra o projecto.
Alda

Marta on 01:48 disse...

Olá Ana

Deixo um beijinho grande, muita força para realizar esse trabalho.

E, adorei o que li, sobre o nascimento da filhota.
O da minha filhota foi um pouco/muito mais difícil.
Mas quando acordei e a vi ao meu lado, foi uma felicidade tal que nem consigo explicar.
Não há coisinha melhor que os filhotes, tem agora quatro aninhos e estou amar muito esta fase da sua vida.

Beijinho

Mariane on 09:29 disse...

Adorei conhecer um pouquinho da sua história!!!

Beijos e bom final de semana!

Ana on 03:56 disse...

Obrigada Amigas, vocês são umas queridas!!!

Mesmo assim já tenho muita coisa escrita, mas que precisa de se desenvolvida.

Estou de férias, mas tento todos os bocadinhos livres, sentar-me em frente ao computador e adiantar um pouco mais.

Um bom domingo!!!!!!!

Beijicas!!!!!!!!

Rosana Ibanez on 19:51 disse...

Oi Ana! Estou passando p/dizer que gostei muito do seu blog e adorei saber um pouco da sua vida como mãe! Nós mães somos mesmo heroínas e não pensamos em mais nada além do bem estar dos nossos filhos.
Lindo!
Beijos e parabéns

Regina d'Ávila on 06:47 disse...

Linda frase...(do rascunho)..
Amiga lindaaaaaaaaa
Estou de volta..
Venho depois com mais calma..
Beijossssssssssssssssss

Rosana Ibanez on 10:13 disse...

olá! Olha te deixei um selo bem glamouroso lá no meu blog, viu?
Beijos e obrigada.

 

Livros, o meu vício Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare