sábado

"Almas Gémeas" de Alan e Irene Brogan

Publicada por Ana Isabel Pedroso

Título: Almas Gémeas

Autores: Alan e Irene Brogan

Páginas: 256

Editora: Edições Asa


Sinopse:
Uma arrebatadora história de amor.
A prova de que a realidade pode ultrapassar a ficção.
Alan e Irene conheceram-se num orfanato, nos anos 50. Ele tinha sete anos, ela tinha nove. Eram ambos sensíveis e solitários. Naquele meio hostil, tornaram-se inseparáveis. Mas a proximidade entre meninos e meninas não era bem vista e, embora se desdobrassem em cuidados e peripécias, o inevitável aconteceu: a inocente amizade foi descoberta. Alan foi levado para outro orfanato sem ter, sequer, direito a um adeus. A Irene disseram que ele fora adoptado e, embora destroçada, a menina encontrou consolo na ideia de o amigo ter então um lar carinhoso e feliz. Mas a realidade era bem diferente. Abandonado e só, Alan queria apenas dizer a Irene que nunca a esqueceria. Por ela, fugiu vezes sem conta. Foi sempre apanhado e, de cada vez, os castigos foram mais brutais.
Os anos passaram mas o laço entre eles nunca foi quebrado. Nas suas vidas – frequentemente difíceis, sempre solitárias – sabiam faltar algo. Sem saberem, frequentaram durante anos as mesmas lojas, o mesmo bairro…
Até que, um dia, quarenta anos depois, Irene e Alan cruzaram-se casualmente na rua. Ambos souberam de imediato que nada nem ninguém voltaria a separá-los. Relato doloroso de abandono, crueldade e sobrevivência, Almas Gémeas é, acima de tudo, uma história espantosa que confirma uma verdade fundamental: o amor consegue vencer todos os obstáculos.


Sobre os autores:
Alan e Irene Brogan casaram em 2007. Alan trabalha em gestão e Irene é uma feliz e orgulhosa mãe, avó e dona de casa. Residem actualmente em Sunderland, em Inglaterra.


A minha opinião:
Um livro muito comovente.
Ninguém fica indiferente a esta história. Quem lê este livro vive um misto de sentimentos, que vai desde a dor, a revolta, a raiva, para depois chegar à alegria, à felicidade, ao amor.

Duas crianças perfeitamente normais, com vidas normais, de repente vêem as suas vidas viradas do avesso. Alan e Irene perdem a mãe e são obrigadas a irem viver para uma instituição, porque ambas as famílias não têm condições para as criar.
No dia que se cruzam pela primeira vez, ambos decidem que vão ser amigos para toda a vida. Durante meses e escondidos das "tias", vivem uma amizade muito pura e inocente. Mas a sorte não faz parte da vida destas duas crianças indefesas, sem qualquer tipo de afecto, apenas o que nutrem um pelo outro. Uma das "tia" não gosta do que vê, de duas crianças a brincam deitadas na areia da praia. Sem aviso prévio, Alan é "despachado" para outra instituição.
Estas crianças além de sofrerem o desgosto de terem perdido a mãe, a família, sofrem porque são tratadas de forma cruel, onde não há lugar para choros, sem lamentações, ali só têm de obedecer.
A sobrevivência destas duas crianças é o amor que sentem uma pela outra. Esse amor nunca as faz desistir, mas sim, de lutar para  um dia se encontrem e serem felizes.
Esse dia chegou, quarenta anos depois Alan e Irene reencontram-se.

Hoje em dia, diz-se que as crianças ficam traumatizadas porque são contrariadas e estas????? Como ficaram estas crianças que foram criadas em instituições nem o minímo de afecto, de amor, de calor humano????

Alan e Irene conseguiram, dentro do possível, superar os horrores vividos nas instituições por onde passaram porque o amor vence todos os obstáculos.

"Algumas pessoas estão destinadas a ficar juntas".

5 comentários:

Camila Félix on 05:57 disse...

Nossa que lindo! Adorei a resenha e me interessei muito pela história.
Parece ser muito emocionante.
Beeijos

mylovers893.blogspot.com

Ana on 05:59 disse...

Muito Comovente.

Leitura obrigatória ;)

Beijinhos!

miGuel pesTana on 03:07 disse...

Um livro tocante..emocionante..mas também revelador de crueldade e abandono.

Adorei lê-lo. Aliais gosto muitos da Colecção Documentos, da ASA.

Ana on 03:40 disse...

É daqueles livros que nos ensinam algo de maravilhoso.

Tenho de ter mais atenção a essa colecção!

Anónimo disse...

Livro emocionante, de luta pela sobrevivência em meio hostil, de grande frieza emocional...onde o que escapa á loucura é mesmo a amizade..., o outro....o amor..sem ele nada é possível :)

 

Livros, o meu vício Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare